sexta-feira, 19 de setembro de 2008

Pecados da carne



No sentido religioso, a carne está simbolicamente associada ao sexo, muitas vezes do ponto de vista do pecado, sendo portanto designado pecado carnal. Mas não é nesse contexto que se pretende abordar os pecados da carne, mas sim no modo excessivo e rigoroso como esta se faz presente à nossa mesa.

No sentido alimentício, geralmente a palavra "carne" só é usada para se referir à carne de mamíferos e répteis. No caso de aves e peixes, geralmente diz-se apenas o nome do animal de onde provém. A carne é um tecido muscular dos animais, incluindo o homem, formada principalmente de proteínas, gorduras e água. Esse tecido é usado como alimento para os animais carnívoros, incluindo o homem - excepto os que adoptam uma dieta vegetariana.

Grande parte da carne que comemos é comprada em mercados clandestinos ou não preparados para o processamento, manuseamento, acondicionamento e venda deste tipo de alimentos. Pode ser até que a carne provenha de locais apropriados para a sua venda (talhos), mas as condições pelas quais passa até chegar a nossa posse, pela via do mukhero, fazem com que esta também corra os riscos acima descritos. É verdade que, vinda das províncias, a carne passa por fiscalização, mas também não é menos verdade que muitos “bois gordos passam” debaixo dos olhos das estrututuras que os deviam inspeccionar.

Este olhar distraído, das autoridades agro-pecuárias e sanitárias, pode contribuir para que doenças provindas de animais, em particular do porco e da vaca, sejam transmitidas ao homem como é o caso da Cisticercose, Tuberculose, Brucelose, Febre aftosa (que tanto abalou a Europa), Toxoplasmose e Intoxicação alimentar sendo que a pior delas é a Neurocisticercose, que provoca a epilepsia, demência e hipertensão intracraniana (o aumento da pressão dentro do cérebro).

Evitar essas doenças, de nome esquisito, que o homem não tolera, não é assim tão difícil: a panela é capaz de vencer todas essas bactérias ou doenças. Cozida a 100° C, a carne ficará livre de todas as bactérias e larvas que afectam os humanos. Portanto, carnes mal passadas ou cruas devem ser banidas, a menos que o consumidor confie na boa procedência da mercadoria.

O consumidor dever(i)á estar atento para o produto que está adquirindo, sobretudo no que concerne à inspecção e a certificação de qualidade por parte das distraídas autoridades. Tendo em conta que este facto pode não ser válido, há que criar um olhar vigilante e analítico na hora de comprar a carne.

Aconselha-se, por exemplo, que aquando da compra de carne moída, solicite ao talhante que moa a carne na hora, evitando comprar a que já está moída. Há também que ter cuidado com a aparência da carne, sobretudo em talhos, pois em alguns casos são colocados produtos químicos cancerígenos (sebo, sulfitos e nitritos) que fazem com que a carne tenha aquela cor bem avermelhada que indica frescura e bom estado.

Tendo em conta os custos da carne, uma das soluções, seria sem dúvida, aproveitar os saldos ou promoções nas carnes que os supermercados oferecem. Mas, muita atenção pois geralmente os saldos representam um momento em que o produto está quase a entrar no fim do prazo. Comece a exercitar o seu olho e intuição tomando nota de outras dicas no momento da compra de carnes quer seja no talho, no dumba-nengue ou nas maguevas da Swázi:

Carnes vermelhas
A carne estará deteriorada quando: apresentar zonas (ou manchas) escurecidas ou zonas ou pontos secos.

Carne moída
A carne deve ser moída à vista do consumidor, para evitar a mistura de carne boa com deteriorada ou da carne pedida com outra de segunda linha.

Carne de porco
Cuidado redobrado com as carnes de porco, que exigem atenção especial. Ela estará deteriorada se apresentar pequenas bolinhas brancas.

Qualidade das aves
As aves também apresentam características importantes a serem examinadas. A sua carne estará boa quando tiver consistência firme, cor amarelo-pálida, brilhante e com odor (cheiro) suave, e estará deteriorada quando: apresentar cor esverdeada, a sua consistência não estiver firme e apresentar cheiro forte.

Qualidade do peixe
Quanto ao peixe, somente adquira o que tiver o corpo rijo (duro), escamas firmes e os olhos salientes e brilhantes. Já o peixe secos como o bacalhau, estarão deteriorados se apresentarem manchas húmidas ou avermelhadas.

2 comentários:

Jorge Saiete disse...

permita-me indicar teu post a madame, certamente fará um bom aproveitamento dos teus conselho. Agora, não nos passe nenhuma factura porque já temos tantas e insuportaveis lá na nossa palhota.
abraço a votse vasikate va moçambique vaku tsura ngutu.

X!mb!t@nE disse...

Permitido!

Saiete, a intenção é justamente essa: fazer chegar aos que não tem acesso. Use e abuse!

E, um pedido especial, copie e mostre a madame e faça ela comentar e depois coloque aqui os comentarios dela.