terça-feira, 23 de setembro de 2008

O valor de uma aliança

receba esta aliança como sinal do meu amor e da minha fidelidade, em nome do pai do filho e do espírito santo“

Muita gente casada, pouco sabe sobre o simbolismo do anel nupcial. Para alguns, a troca de alianças é um convite ao selamento matrimonial; para outros, apenas um objecto de pura vaidade e capricho. O facto é que esse pequeno e delicado adereço encerra em si um poderoso elemento de ligação entre o casal.


Antes de mais nada, a sua própria forma circular é uma representação da alma e reporta-se a sí mesmo. Isto quer dizer que quando há a troca de alianças, inconscientemente está havendo um intercâmbio, como se cada uma das partes recebesse a essência da alma da outra.


Ultimamente tem se notado que há uma série de equívocos sobre usar ou não uma aliança. Aquilo que é um símbolo de uma união, hoje pode ser visto de várias formas. Para uns é visto como se fosse uma placa com os dizeres: “cuidado com o cão ou perigo vedação electrificada” ou seja, a aliança serve para afastar perigos!

Para outros, a aliança pode até comparar-se ao mel para as abelhas: quem a tem é uma garantia de que “não me vai arranjar problemas”! Para outros ainda é um estilo, está na moda, ou dá um status. E, existem ainda aqueles que apesar de casados não a usam.

No caso dos primeiros usam-na porque assim, o companheiro/a se sente mais seguro/a. Os segundos porque lhes dá mais abertura para os prazeres carnais… alheios.

Os que não a usam fazem-no por vários motivos uns porque sentem que o dedo anelar não “aguenta” carregar o peso da relação, outros porque incomoda, outros porque perderam e ainda não tiveram tempo de fazer outra, outros ainda porque engordaram e por aí em diante. Entretanto, com a excepção dos primeiros há casos em que apesar de um do não uso da aliança o casamento/relação vai muito bem e obrigado!

Há também um caso muito curioso, este acontece muitas vezes com mulheres, uso de aliança, no dedo anelar esquerdo mesmo sem ser casada! Ora, algumas fazem-no porque estão separadas e não divorciadas, outras porque o companheiro ofereceu (principalmente às casas 2), outras porque são viúvas (não sei por quanto tempo devem usar a aliança) , e outras porque vendo o sonho de casar muito longe preferem colocar a aliança no dedo, mas tudo isto tem um motivo de fundo, o prestígio. Para as mulheres, ainda que o casamento vá mal, usar aliança é sinónimo de respeito onde quer que vá (na igreja, trabalho, bairro, etc).

Uma vez que a nova Lei da Familia prevê que após o registo, o anelamento/lobolo passa a ter o valor do matrimónio, e como ultimamente os nossos lobolos viraram quase casamento, com direito a cadeiras vestidas, damos e damas, e até sessão de prendas, porque não a semelhança da nova “moda” de celulares último grito na lista, acrescentar alianças para os noivos?

6 comentários:

Jonathan McCharty disse...

Boa analise Yndongah,

As aliancas, principalmente para os homens, costuma ser um "empecilho" para as suas aventuras extra-conjugais. Quantas vezes as esposas encontram as aliancas dos maridos no bolso? E costuma haver sempre desculpas, hehe.
E' curioso e teu ultimo paragrafo! Realmente, se a lei ja reconhece juridicamente o lobolo, e' logico que passe a ser incluida uma alianca para o noivo. Mas a questao e': Quem o ira' comprar? O noivo ou a noiva?? (aqui e' que sao elas, hehe)

Yndongah disse...

Jonathan,

Gosto da forma como aborda as questões, coloca o dedo na ferida hehe, cuidado os seus amigos homens começarem a achá-lo “persona non grata”.

Realmente muitos homens têm problemas com o uso da aliança.Lembro me que um dia, eu estava sentada ao lado de uma senhora no chapa e de repente ela recebe um sms que a deixa visivelmente perturbada, logo de seguida fez uma chamada e em tom alto e imperativo disse “não me provoques, encontra a aliança ou então não vais trabalhar!”. Não foi difícil saber o que dizia a mensagem.

Quanto a pergunta (aqui é que são elas mesmo!), bom o ideial seria que as alianças constassem da lista, ganha um carácter “vinculativo”, entretanto, não estou a ver os homens a aceitarem isso de ânimo leve.Mas acho que as mulheres não se importariam em fazer esse “miminho” para os companheiros né?

Volte sempre

Egídio Vaz-Historiador disse...

Vão me perdoar, eu não tenho nenhuma opinião formada sobre o assunto: nunca recebi lista alguma (apesar de ter idade bastante), pelo que nunca usei aliança nem anel, muito menos mandei vestir. Mas se me perguntarem sobre o caso, eu começaria por perguntar se faz sentido a própria lista, uma vez que para o registo de toda a relação matrimonia no cartório apenas se exige docuemntos! Hehe, mesmo para que a relação tenha validade de um casamento, É PRECISO QUE SEJA REGISTADA MEUS SENHORES.
Abraço grande.
E.

Yndongah disse...

Egidio,
Obrigado por aqui passares

Creio haver um mal entendido entre nós. A intenção é de chamar atenção em relação ao simbolismo das alianças nos dias de hoje.Aproveitei a ocasião para sugerir um outro cenário tendo em conta a nova legislaçao familiar.

Mais uma vez obrigado e volte sempre

X!mb!t@nE disse...

Jonathan, tal como refere a Yndongah, acredito que as damas não se sentiriam ofendidas em comprar um anel para o noivo. Mas, há que lembrar que como toda uma simbologia e tradição, o anel é comprado pelo noivo.

X!mb!t@nE disse...

Caro Egidio, a lista não faria sentido se não se tivesse transformado numa pratica enraizada, logo tradição.

Se assim não o fosse, nós fariamos como fazem em outras culturas: o namorado decide que quer casar, convida a pretendida a jantar e durante o mesmo ofertava um anel como simbolo desse acto.

Recentemente, vi numa novela, que numa situação identica a acima narrada, apenas eram convidados de tal cerimonia os pais e amigos chegados e que a noiva também ofertava um anel ao seu amado, como simbolo de noivado e nada mais em troca.

Feliz ou infelizmente temos essa tradição e muita mania de grandeza, tudo tem que ser pomposo e como consequencia temos gastos enormes.